Perspectivas históricas de la formación docente para la expresión artística del cuerpo en los caminos educativos de tres profesoras primarias

André Freitas, Fátima Pereira, Paulo Nogueira

Resumen


Três histórias de vivências escolares durante a formação inicial de três professoras da educação básica em Portugal, na área da educação e expressão artística, possibilitam lançar o desafio de se informar, mobilizar e discutir três períodos históricos na formação de sensibilidades para a expressividade corporal. A metodologia narrativa, para a construção e desenvolvimento desta pesquisa, é base do processo relacional, emocional e ético adotado. As três professoras participantes, através das suas narrativas, contam três histórias recolhidas através de encontros presenciais e gravados, com partilha de diversos materiais e artefactos pessoais. Como principais resultados, destaca-se para o primeiro período abordado, década de 1970, a grande influência da Revolução social e cultural de 1974 como elemento caracterizador e definidor dos cursos de formação inicial de professoras, com especial importância na educação e expressão artística. Em relação ao segundo período, década de 1980, destaca-se o grande investimento científico, articulando-se com o investimento pedagógico já em desenvolvimento após a Revolução. O terceiro período, a partir do ano 2000 marca-se pela internacionalização e alinhamento com outros sistemas educativos, de capacidade multidisciplinar. As três histórias permitem perceber a insuficiente e inadequada formação adquirida; e possibilitam a compreensão da necessidade de vivências pessoais, relações humanas e práticas profissionais em contexto escolar serem princípios integrados nos espaços de formação superior de professores.


Palabras clave


Narrativas; Formação Inicial de Professoras; Expressões artísticas e Corpo expressivo;

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22370/ieya.2020.6.1.1921

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento 4.0 Internacional.